Você está em Noticiaki > Bem Viver > Dengue: Sintomas, Tratamento e Prevenção

Publicado por EM Saúde| Atualizado em: 07/10/2016 às 22h02m

Dengue: Sintomas, Tratamento e Prevenção

A Dengue se tornou um dos grandes problemas sociais no Brasil, pois se alastrou por todas as regiões do país causando epidemias em cidades inteiras. A doença é transmitida por intermédio da picada da fêmea do mosquito Aedes Aegypti, que tem hábitos diurnos e que se multiplica com facilidade em recipientes que armazenem água limpa e parada, muito comum em quintais e interiores de casas. São criatórios ideais, vasos de plantas, pneus, garrafas, copos, dentre outros. A Dengue possui quatro tipos de vírus, denominados sorotipos 1, 2, 3 e 4, todos com potencial de causar os sintomas da doença. O sorotipo 4 é o único que ficou anos sem nenhum tipo de contaminação, entretanto, em 2015 voltou a aparecer em regiões do Brasil, especialmente em crianças e jovens que não desenvolvem imunidade contra a Dengue 4.

Mosquito Aedes Aegypti transmissor da Dengue

Mosquito Aedes Aegypti transmissor da Dengue

Sintomas da Dengue

A infecção pelo vírus da dengue na grande maioria das vezes é assintomática, ou seja, assim que surge costuma evoluir como regra em três formas clínicas: a primeira forma é a forma benigna da doença, nomeada por dengue clássica que tem por característica os sintomas similares à gripe; a segunda é a forma grave da doença, nomeada por dengue hemorrágica que é caracterizada pelas alterações da coagulação sanguínea; a terceira forma é raríssima e é nomeada como síndrome do choque associado à dengue, que pode levar o paciente à óbito caso o atendimento não seja especializado e o tratamento não seja adequado.

Dengue Clássica

Os sintomas da dengue clássica nos adultos inicia com o surgimento repentino de febre alta de 39º a 40º graus, combinada com dores fortes de cabeça, nas juntas e atrás dos olhos, coceira, prostração e vermelhidão pelo corpo. Os sintomas podem durar de 3 a 7 dias, onde a partir disso a temperatura tende a diminuir e as dores a regredir, contudo, o quadro de prostração e fraqueza pode perdurar por algumas semanas. Em crianças os sintomas também iniciam com febre alta combinada com apatia, além de sonolência, vômito, diarreia e aversão aos alimentos. A vermelhidão pelo corpo pode ou não aparecer.

Dengue Hemorrágica

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da forma clássica da doença, porém, a partir do terceiro dia, quando a temperatura tende a diminuir, aparecem os sinais de hemorragia, que podem ocorrer pelo sangramento nasal, gengival, vaginal, rompimento dos vasos superficiais da pele, dentre outros. Também poderão ocorrer hemorragias nas vias urinárias e no aparelho digestivo, porém, são casos raros.

Síndrome do Choque associado à Dengue

Os sintomas da síndrome do choque estão caracterizados por alterações neurológicas que geralmente aparecem após o fim do período febril ou no período de convalescênça, e causam delírio, depressão, sonolência, irritabilidade extrema, coma, amnésia, psicose e demência. Também está caracterizada por alterações cardiorrespiratórias, derrame pleural, insuficiência hepática e hemorragia digestiva.

Tratamento da Dengue

O grande problema da dengue é a não existência de um tratamento específico, pois não há medicamentos exclusivos para o combate ao vírus, sendo assim, o aconselhável é ingerir muito líquido para manter a hidratação. Em casos de internação, o paciente é submetido à soro todo tempo e a medicamentos para diminuir a temperatura e analgésicos para aliviar as dores. Todo paciente com dengue ou suspeita, deve procurar auxílio médico, não devendo em hipótese alguma recorrer à automedicação, já que medicamentos antitérmicos e anti-inflamatórios interferem no processo de coagulação do sangue.

A dengue é uma doença de fácil transmissão, onde muitas das vezes nem se percebe que foi picado pelo mosquito Aedes Aegypti, porém, pode evoluir com facilidade da forma clássica para formas de maior gravidade, sendo assim, o indivíduo só desenvolve imunidade para o sorotipo contraído, ou seja, a chance de se contaminar com outro sorotipo é grande, principalmente, o sorotipo da dengue hemorrágica. Quanto antes a doença for identificada, melhor será para o controle das epidemias com a eliminação dos focos da doença, já que esta é a única forma de prevenir a reprodução do mosquito transmissor da dengue.

O diagnóstico da dengue é feito a partir de exames laboratoriais, mais especificamente de sangue, onde o vírus é isolado diretamente no sangue durante os 3 a 5 dias iniciais da doença, ou ainda pela detecção de anticorpos contra o vírus da dengue por meio de testes sorológicos. Também pode ser diagnosticada pela prova do laço, onde é avaliado a fragilidade capilar e a queda do número de plaquetas no sangue. Já está em desenvolvimento a vacina contra a dengue, feita a partir de uma cepa do vírus vivo, geneticamente modificado, e os resultados são satisfatórios, pois os humanos que se fizeram voluntários não apresentaram até o momento, nenhum tipo de reação adversa.

Encontre o que deseja:

Receba as novidades do NoticiAki em seu e-mail:

Gostou? Deixe seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *