Você está em Noticiaki > Entretenimento > Época para Reprodução do Trinca Ferro em Cativeiro

Publicado por EM Animais| Atualizado em: 03/10/2016 às 21h25m

Época para Reprodução do Trinca Ferro em Cativeiro

O trinca ferro ou pixarro é um dos pássaros mais cobiçados no Brasil, por sua beleza imponente e canto forte, além da fibra que tanto atrai os criadores, pois, é um pássaro canoro que raramente deixa de cantar na frente de outro trinca ferro, o que proporciona um espetáculo de cantos a parte. O trinca ferro é uma ave passeriforme que tem como nome científico Saltator Similis e encontrado em praticamente todo Brasil, em regiões de lagos, represas e rios. Sua alimentação é composta por frutos e insetos, e é uma ave extremamente territorialista, onde o canto alto é uma das maiores armas do macho para manter outros machos longe de seu território. Em caso de invasão do território, as aves brigam até se matar. Sua cor predominante é o verde escuro, com detalhes cinzentos sobre a cabeça e riscos brancos na lateral da face.

Trinca Ferro Macho

Trinca Ferro Macho

Por ser uma ave de extrema beleza e canto forte, é comum a sua criação em cativeiro, porém, é importante ressaltar que o trinca ferro, assim como qualquer ave silvestre nativa brasileira, não pode ser criada em cativeiro sem a devida licença do Ibama Sispass, que é o órgão responsável pela liberação e registro de criadores amadores de passeriformes no Brasil. Por ser uma ave extremamente territorialista, a maior dificuldade para se criar trinca ferro em cativeiro é a junção do casal, pois mesmo sendo macho e fêmea, ambos não se aceitam se não estiverem devidamente acasalados, ou seja, para que haja aceitação de ambas partes, é necessário um trabalho de logo período e grande paciência por parte do criador, pois somente após aceitarem um ao outro, poderão ser soltos juntos, caso contrário, um baterá no outro até a morte.

Processo de acasalamento do Trinca Ferro

Este processo de acasalamento e união do casal deve ser feito diariamente, onde é necessário que haja apenas um macho no local, podendo este acasalar com até 5 fêmeas. O sistema de poligamia é aconselhado na maioria dos casos, pois, o risco de perda de filhotes é menor, além da produtividade ser maior e o espaço para a criação ser menor. Já no sistema de monogamia o processo reprodutivo é mais lento, já que haverá apenas uma cria por período, ou seja, na poligamia, poderão haver até 5 crias constantemente. Na monogamia o espaço para a reprodução também deverá ser maior, já que ambos ocuparão o mesmo local e ainda pode acontecer, dependendo da situação, agressão aos filhotes por parte dos pais. A manutenção, higiene e trato dos filhotes também são fatores importantes em ambos modos de criação, devendo ser atentados durante todo o processo.

Gaiolas para reprodução do Trinca Ferro em cativeiro

As gaiolas para a reprodução em cativeiro do trinca ferro devem respeitar os tamanhos padrões, afim de garantir o sucesso da reprodução. Para as fêmeas de trinca ferro, as gaiolas devem ter 80cm de comprimento, 40cm de altura e 30cm de profundidade, além de 3cm de distância entre o fundo da gaiola e a bandeja, para evitar que a fêmea puxe o jornal do fundo e utilize no ninho, o que poderia contaminar toda a ninhada, causando posteriormente, a morte dos filhotes. Já a gaiola do macho de trinca ferro pode ser menor, com medidas de 40cm de comprimento e de altura, e 30 cm de profundidade. Durante o processo de choca, aconselha-se que o casal fique separado.

Trinca Ferro Fêmea

Trinca Ferro Fêmea

Pois, conforme já citado, a monogamia oferece riscos aos filhotes, além da produção ser mais lenta. Contudo, ambos podem ficar na mesma residência, porém, sem se ver. Os poleiros da gaiola criadeira deve ser riscado e não liso, de diâmetros variados, de preferência. O ninho também deve respeitar o tamanho padrão, com 10,5cm de diâmetro e 6cm de profundidade, geralmente feitos de sisal ou bucha. Também é importante fornecer para a fêmea raízes, sisal cortado, ou até mesmo fibras de coqueiro, para que a fêmea possa adequar o ninho a sua necessidade. O local de reprodução deve ser claro e arejado, e não deve-se postar a gaiola em locais com muita corrente de ar, pois, é algo extremamente prejudicial aos filhotes.

Época de reprodução do Trinca Ferro em cativeiro

Perto do período de reprodução, as fêmeas geralmente apresentam alta dominância do local, contudo, podem se mostrar extremamente agressivas ao macho, e o macho por sua vez, mostra respeito pela fêmea. A fêmea agressiva demais e o macho que tem medo da fêmea pode representar um problema, pois geralmente, não conseguirão acasalar. As fêmeas consideradas boas criadeiras, são as que costumam pedir gala ao macho mesmo não estando totalmente prontas para a cópula, procedimento conhecido como “gala falsa”, contudo, mostram que estão acasaladas com o macho e que estão totalmente adaptadas ao cativeiro. É importante ressaltar que o procedimento de junção do casal deve ser feito somente após a aceitação total de ambos, pois se feita a fêmea não aceitar totalmente o macho, o macho pode adquirir medo da fêmea e não fazer a cobertura da mesma posteriormente.

Filhotes de Trinca Ferro

Filhotes de Trinca Ferro

Por este motivo, somente coloque o macho para a cópula quando a fêmea ficar estática no poleiro, parecendo estar em transe, onde junta as penas da calda para facilitar a cópula. Se a fêmea acompanhar o macho ou ficar se mexendo muito, esta não é a hora correta de juntá-los. Para fazer um teste, coloque a divisória na gaiola antes de soltar o macho, então solte-o e veja se a fêmea fica estática. Se ela ficar estática e então pedir gala ao macho, tire a divisória para que ocorra a cópula. Se for a primeira vez que o casal acasala, é recomendado deixar que o macho realize a cópula várias vezes, afim de garantir maior sucesso na fertilização dos ovos, porém, da segunda cria em diante, o número de vezes poderá ser diminuído.

Postura anual do Trinca Ferro

A postura dos ovos na reprodução de trinca ferros ocorre 2 dias após a cópula e geralmente, a fêmea bota de 2 a 3 ovos por cria. Os filhotes nascem 13 dias após botados os ovos. Os filhotes devem ser separados da mãe entre 35 e 40 dias. A anilha do Ibama deve ser colocada no pé do filhote de 5 à 10 dias após o nascimento, pois, após este período, a colocação da anilha ficará difícil, podendo causar lesões no pé do filhote, já que nesta fase, o mesmo ainda está muito sensível. Procure manter a higiene das gaiolas sempre em dia, pois, os filhotes são sujeitos à doenças como a coccidiose no início do seu ciclo de vida, por isso, troque frequentemente o jornal do fundo da gaiola, lave com detergente diariamente o bebedouro e comedouro e evite manter a gaiola em locais úmidos e sem sol, para evitar a proliferação de fungos e bactérias.

Reprodução de Trinca Ferro

Reprodução de Trinca Ferro

Encontre o que deseja:

Receba as novidades do NoticiAki em seu e-mail:

Gostou? Deixe seu comentário abaixo!

5 Comentários em Época para Reprodução do Trinca Ferro em Cativeiro

  1. Jose Lins disse:
    Legal, gostei mesmo; so que faltou comentar a data apropriada para o acasalamento…
  2. jovanio luiz ferreira disse:
    esses comentario e muito bom pra quem esta começando criar trinca ferro
  3. neves disse:
    muito sua dica valeu um abraço
  4. Tyagho Souza disse:
    Olá Roberto,
    Segundo criadores, a partir de 1 ano de idade o trinca ferro já se torna adulto para a reprodução, porém, o alge da reprodução da ave, se da a partir do 3º ano de idade, isso serve tanto para o macho (que se tornará um exímio galador), quanto para a fêmea (que se tornará uma ótima criadeira). Porém, vale ressaltar que isso não é uma regra, pois há aves que mesmo alcançando tal idade não se tornam boas aves criadeiras, já que tudo depende da genética dos pais.
    Abração e boa sorte!
  5. roberto teixeira disse:
    Perfeita a reportagem so tenho uma pergunta a partir de que idade o trinca ferro se torna adulto para reprodução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *