Você está em Noticiaki > Notícias > Recadastramento Biométrico: Documentos e Como Fazer?

Publicado por EM Política, Tecnologia| Atualizado em: 07/03/2017 às 08h31m

Recadastramento Biométrico: Documentos e Como Fazer?

Nas últimas eleições realizadas no Brasil, o eleitor certamente ouviu falar com extrema frequência a respeito da leitura biométrica, que foi testada pela primeira vez em eleições, e como tudo no Brasil, deu o que falar, principalmente pela demora na leitura que a mesma implicou, além do mau preparo dos mesários para seguir as orientações ou até mesmo passar as orientações para os eleitores na hora da votação. Mas afinal de contas, o que é o recadastramento biométrico? Bom, ele recebe o nome de “recadastramento” porque de certa forma, o eleitor em algum dado momento, já se cadastrou na Justiça Eleitoral, porém, dessa vez, ao invés do eleitor sair do cartório com o titulo na mão, o mesmo deixa a sua digital gravada nos sistemas da Justiça Eleitoral, e assim na hora da votação, a digital deverá ser colhida através do aparelho de leitura, que dirá se o eleitor é realmente o eleitor.

Recadastramento Biométrico

Recadastramento Biométrico

Ou seja, este sistema veio para evitar que pessoas votem por outras, pessoas votem com documentos falsos, enfim, o recadastramento biométrico veio para melhorar ainda mais a segurança dos dados dos eleitores no ato da votação. É bem simples de se entender, apesar de ser bastante complexa toda a explicação, mas a digital é individual e não há como duplicá-la, sendo assim, ninguém poderá falsificar um título de eleitor ou votar portando documentos falsos, sendo assim, quando é feito o cadastramento biométrico, o eleitor assina o seu título com sua digital e assim, ninguém mais poderá se passar por outra pessoa, garantindo o direito democrático de cada um.

Só nessas eleições de 2014, mais de 22 milhões de eleitores fizeram a identificação de forma biométrica utilizando o Título NET. Contudo, os eleitores reclamaram bastante da falha na identificação através dos aparelhos. Segundo recomendações do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), era necessário que 10 (dez) tentativas da leitura da digital acontecesse sem sucesso para que o voto fosse liberado. Segundo o próprio TSE, como fora a primeira eleição a utilizar a leitura digital, era comum que o público num geral se assustasse e que alguns problemas acontecessem, coisa que para as eleições municipais de 2020 e para presidente de 2018 já estejam superadas.

Atualmente, são 58 zonas eleitorais que oferecem esse serviço de leitura, contudo, ainda não se tornou um ato obrigatório. Para aqueles que quiserem recolher a sua digital e fazer parte do recadastramento, deve procurar os cartórios eleitorais da capital ou então o Poupatempo de sua cidade para que seja tirada a foto de identificação do eleitor, que será mostrada na hora da votação, e ainda colher a impressão digital. O horário de atendimento dos cartórios eleitorais é de 2ª a 6º feira, das 7:00 horas até as 18:00 horas, além dos sábados, das 7:00 às 13:00.

Para os eleitores que desejarem fazer o recadastramento biométrico e que já possuam inscrição na Justiça Eleitoral, estes deverão comparecer à sua zona eleitoral portando o título de eleitor, um documento de identificação com foto e comprovante de endereço (caso tenha mudado de endereço recentemente, leve um documento que comprove as alterações dos dados atuais cadastrados no sistema). Se estiver fazendo o seu primeiro cadastramento e ainda não tem título de eleitor, o mesmo deverá portar o documento de identificação com foto, comprovante de endereço recente e para os homens maiores de 18 e menores de 45 anos e o comprovante de quitação do serviço militar.

Encontre o que deseja:

Receba as novidades do NoticiAki em seu e-mail:

Gostou? Deixe seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *