Você está em Noticiaki > Bem Viver > Sarna Humana – Causas, Sintomas e Tratamento

Publicado por Emily Oliveira EM Saúde

Sarna Humana – Causas, Sintomas e Tratamento

Sarna Humana

A sarna humana ou escabiose é uma doença de pele contagiosa transmitida através do contato direto com a pessoa contaminada, relações sexuais, roupas, toalhas ou roupas de cama usadas por alguém que tenha a doença. A doença é mais comum em locais pouco higiênicos e fechados como zonas de baixo meretrício ou cadeias. A doença pode ser considerada uma DST já que a sua transmissão ocorre na maioria das vezes por relaxões sexuais.

sarna humana

sarna humana

Causas da Sarna Humana

A Sarna Humana é causada por um ácaro denominado Sarcopter scabiei que penetra na pele em questões de minutos. As lesões e infecções podem demorar a serem curadas, embora os ácaros morram com facilidade. O paciente deve se prevenir contra uma possível reinfestação, portanto esterilizar roupas, toalhas e roupas de cama do indivíduo e seus familiares são uns dos primeiros passos para evitar novamente o contágio. Lave as peças com água fervente e passe-as com ferro quente.

Sintomas da Sarna Humana

Os sintomas da sarna são coceira intensa, lesões na pele causadas pela perfuração do ácaro e devido ás coceiras. Na maioria das vezes as lesões levam a infecções secundárias, podendo elas ser graves. Pacientes com HIV ou outras doenças imunológicas estão mais propícios às infecções. Normalmente as áreas mais afetadas pela doença são: nádegas, ventre, seios, axilas, punhos, barriga e órgãos genitais masculinos. Em crianças e idosos podem aparecer na palma das mãos, planta dos pés ou couro cabeludo.

Tratamento da Sarna Humana

Em pacientes adultos, o tratamento pode ser realizado via oral com um medicamento denominada ivermectina, ou revectina. Há um tratamento mais barato que é realizado através da aplicação local, sendo que na loção deve conter benzoato de benzila, monossulfiram ou permetrina. A maioria das pessoas melhora dias após o tratamento, mas a cura pode demorar de 4 a 6 semanas até que as lesões e a coceira desapareçam. Para evitar uma reinfestação, as pessoas que convivem na mesma casa devem se tratar mesmo que não estejam com coceiras ou lesões.


Recomendamos também:


Encontre o que deseja:

Receba as novidades do NoticiAki em seu e-mail:

Gostou? Deixe seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *